Tuesday, August 05, 2014

Mais um ano

Passou-se mais 1 ano... O tempo nunca voou como agora. Os dias correm, não se contentam com o ritmo de cruzeiro que tanto se adequa a mim. A Daniela já corre tudo, adora passear e é uma criança muito mimosa e bem-disposta. Exceptuando quando está com sono, aí fica um tanto ou quanto insuportável!!! O trabalho lá vai andando, sem grandes mudanças nem grandes dores de cabeça. E eu cá vou andando, sempre que possível sem grandes stresses. Ando sempre um pouco cansada, parece que não durmo uma noite inteira há séculos, e fazem-me falta aqueles momentos em que não faço ABSOLUTAMENTE NADA! Sabem, aqueles momentos em que nos perdemos nos pensamentos, ou estamos simplesmente a contemplar algo belo, ou a recordar um momento feliz. Sinto falta desses momentos. De me deixar perder. Hão de voltar um dia, assim espero...

Tuesday, August 06, 2013

Já passaram uns mesitos desde o último post, demasiado tempo... Isto da maternidade tem muito que se lhe diga... Na verdade deixam de se fazer a maior parte das coisas que anteriormente nos davam prazer. Vir aqui é uma delas, mas há tantas outras... Cinema, quem diria que ia conseguir estar 2 anos sem pôr os pés numa sala de cinema. Pois é, se me dissessem eu não acreditaria, mas é a pura das verdades. Os hobbies passam a ter de estar adequados aos pequenos. É verdade que podia deixar a Dani nos avós, mas depois vem a culpa, por estar a gastar mais tempo que podia estar a passar com o rebento e que em vez disso estou a divertir-me sem ela. O tempo que passamos no trabalho longe deles já é tanto que qualquer horita a mais longe parece pecado. Outra coisa que adorava: D O R M I R. É tão bom descansar, não é? Pois é, aqui a je não dorme uma noite inteira há 2 anos. No final da gravidez era o mau-estar, já não ter posição, e os habituais pontapés de quando em vez, agora acordo 2 a 3x por noite para pôr chucha, dar água, dar a mão e um mimo. Dormir até ao meio dia? Esqueçam!! Às oito e pouco já a Daniela está em pé no berço a pedir "lete". Pedir é um eufemismo, ordenar é mais o termo. Mas depois a Daniela aninha-se no meu ombro e agarra-me na mão e fica tudo bem. Parece que todos os males ficam resolvidos com um simples mimo daquela menina. Eu que durante tanto tempo questionei se desejaria ser mãe já não consigo conceber a minha vida sem a Daniela. O pai às vezes chama-lhe 5 réis de gente, e esses 5 réis de gente são agora o centro da nossa existência.

Friday, February 08, 2013

Daniela

Há muitos, muitos anos uma amiga do peito fez-me o teste da agulha. Diversas vezes o dito teste foi repetido, e o resultado foi sempre idêntico: ia ter um pilinhas. O poder dessa previsão teve tanto poder que assim que soube que estava grávida nunca questionei o fato do sexo. Ia ser um pilinhas, pois está claro. WRONGGGGGGGGGGG. Quando me fizeram a ecografia morfológica e finalmente viram o sexo do ser que trazia dentro de mim e me disseram "é uma menina" nem podia acreditar. Hoje tenho uma Daniela com 15 meses. É linda, tem uns grandes olhos azuis e um sorriso desarmante. Apaixonei-me a primeira vez que me agarrou num dedo. Inacreditável. Ser mãe está a ser uma experiência maravilhosa e desafiante. De certa forma o ser eu passou para segundo plano. Agora a Daniela é o centro do meu mundo. Se ela está bem, eu estou bem. E ela está bem :)

Wednesday, May 18, 2011

Mudanças e mais Mudanças



Faz muito tempo que não passo por aqui...
A minha vida deu uma grande volta.
Não só comecei a trabalhar como saí de casa e soube em Janeiro que vou ser mamã!!!
Eu... Mamã, aiai.
Dizem que a gravidez é um estado de graça, eu sinceramente nem me posso queixar muito por enquanto. Tirando o cansaço quase constante, as flutuações de humor, os enjoos, as dores nas costas e os tornozelos inchados, está tudo a correr muito bem.
Há uns dias senti-o(a) pela primeira vez e desde então dou por mim a falar para quem aí vem. É incrível como um ser tão pequeno começa a mudar toda a nossa vida ainda antes de vir ao Mundo.
As horas de refeição são sagradas, e quando não gosta do que lhe envio recambia-me para a casa de banho; Assim que fico um pouco mais stressada dá-me um sinal que não está a achar piada e caso não me acalme... lá vem vómito! Se descanso pouco saúda-me com uma enxaqueca monumental que só passa quando faço o que quer, isto é, nada!!!
Enfim, está a ser uma aprendizagem constante e, de momento, a única certeza que tenho é que quando vier ao Mundo será bem vindo :)

Saturday, October 30, 2010

Ouch




Dizem que quem é vivo sempre aparece...
Não deixa de ser engraçado que é justamente nas alturas em que me sinto mais morta por dentro que me dá vontade de regressar aqui...
Dizem que é na dor que mais aprendemos. Mas a verdade é que todos procuramos momentos sorridentes. Que aprendizagem tirar daí?
Dizem que aquilo que não nos mata torna-nos mais fortes, então porque fugimos todos dessas encruzilhadas?
Porque digo que me vou embora quando o que mais desejo é que me agarres?
Porque não me agarras tu? ...
Porque fujo eu? ...

Sunday, March 14, 2010

Os opostos atraem-se




Antes de ontem, uma amiga, que sabe a molhos de biologia, estava a falar-me de um estudo que fizeram que achei interessantíssimo e gostava de partilhar convosco.
Ao que parece, pediram a um grupo de homens e mulheres jovens para usar uma camisola durante duas semanas consecutivas, sem a lavar e sem usar desodorizantes, de modo a que a mesma ficasse impregnada do cheiro natural da pessoa. Depois das ditas estarem a cheirar aos seus donos pediram a cada um que, cheirando as camisolas dos membros do sexo oposto, escolhessem o cheiro que gostavam mais. O resultado foi espantoso. As pessoas que se escolheram tinham material genético o mais diferente possível.
Em uníssono chegámos à conclusão inter-relacional da coisa: «Os opostos atraem-se». Biologicamente parece que também faz sentido porque interessa que haja uma grande diversidade a nivel genético, para que a espécie evolua.
A minha questão é: é mais que sabido que os opostos se atraem, mas a relação mantém-se no tempo?

Saturday, February 27, 2010

Tudo Pode Dar Certo



Uma sugestão para estes dias chuvosos que parecem não ter fim.
É um filme muito bem disposto e que aconselho vivamente, já para não falar que tem um bom lema... «whatever works...» :)